Cientistas veem alto risco de Ebola chegar à França e Reino Unido até o final de outubro.




Cientistas veem alto risco de Ebola chegar à França e Reino Unido até o final de outubro
Reuters Em Londres 05/10/2014 10h03

Os cientistas usaram os padrões de propagação da doença Ebola e dados de tráfego de companhias aéreas para prever a chance de 75 por cento de que o vírus poderá chegar na França até 24 de outubro, e chance de 50 por cento para atingir a Grã-Bretanha até essa data.

Esses números consideram um tráfego aéreo operando em plena capacidade. Assumindo uma redução de 80 por cento em viagens para refletir a situação em que muitas companhias aéreas suspendem voos para regiões afetadas, o risco para a França ainda é de 25 por cento e da Grã-Bretanha é de 15 por cento.


3.out.2014 - Médicos do Hospital Universitário de Frankfurt, na Alemanha, usam roupas de proteção individual para receber o médico de Uganda infectado por ebola. O médico, cujo nome não foi revelado, vem de Serra Leoa, um dos países mais afetados pela mais recente epidemia da doença Leia mais Boris Roessler/DPA/AFP

"É realmente uma loteria", disse Derek Gatherer, da Lancaster University da Grã-Bretanha, um especialista em vírus que vem acompanhando a epidemia, o pior surto de Ebola na história.

A epidemia mortal já matou mais de 3.400 pessoas desde que começou na África Ocidental em março e começou a se espalhar mais rapidamente, infectando quase 7.200 pessoas até agora. Nigéria, Senegal e agora os Estados Unidos --onde o primeiro caso foi diagnosticado na terça-feira em um homem que veio de Libéria-- registraram pessoas portadoras do vírus da febre hemorrágica Ebola, aparentemente involuntariamente, chegando em seus territórios.

França é um dos países com maior probabilidade de ser o próximo atingido, porque os países mais afetados-- Guiné, Serra Leoa e Libéria-- falam francês e têm rotas cheias de viagens com o país europeu, enquanto que o aeroporto de Heathrow, na Inglaterra, é um dos maiores do mundo.

Tanto França como Grã-Bretanha, cada um, trataram uma pessoa que voltou ao respectivo país com a doença e depois foi curada. O estudo dos cientistas sugere que mais pessoas podem trazer o vírus para a Europa sem saber que estão infectadas.

"Se isso continuar devastando a África Ocidental e se de fato ficar pior, como algumas pessoas preveem, então é só uma questão de tempo antes que um destes casos acabe em um avião para a Europa", disse o coletor.

A Bélgica tem uma chance de 40 por cento de ver a doença chegar ao seu território, enquanto a Espanha e a Suíça têm menor risco, com 14 por cento cada, de acordo com o estudo publicado na revista PLoS Current Outbreaks.

A Organização Mundial de Saúde (OMS) não colocou quaisquer restrições sobre viagens e tem incentivado as companhias aéreas a continuarem voando para os países mais atingidos. A British Airways e Emirates Airlines suspenderam alguns voos.

Postar um comentário

0 Depoimentos: