Petrobras deverá ter perdas por corrupção de R$ 10 bi em balanço




Corte de investimentos pode chegar a 30%. Empresa não comenta

POR BRUNO ROSA / RENNAN SETTI


RIO - A Petrobras — que informou nesta quinta-feira mais uma vez a intenção de publicar na próxima semana seu balanço referente ao terceiro trimestre do ano passado com perdas relativas aos casos de corrupção — deverá registrar baixas contábeis de cerca de R$ 10 bilhões, de acordo com uma fonte do governo. Na lista de casos contabilizados, estarão a construção das refinarias Abreu e Lima, em Pernambuco, e Comperj, no Rio de Janeiro. Estão ainda as obras de modernização das refinarias Repar (Paraná), Replan (Paulínia, em São Paulo) e Henrique Lage, em São José dos Campos (SP). Também terão perdas as obras do Gasoduto Urucu-Manaus e Cabiúnas (no Rio).

Em comunicado enviado nesta quinta-feira à Comissão de Valores Mobiliários (CVM), a estatal detalhou que seu balanço vai incluir “a avaliação individual de ativos e projetos cuja constituição se deu por meio de contratos de fornecimento de bens e serviços firmados com empresas citadas na Operação Lava-Jato, inclusive a refinaria Abreu e Lima, o que poderá resultar no reconhecimento de perdas e consequente revisão de seu ativo imobilizado atual”.

CONSELHO SE REÚNE DIA 27

Para calcular a perda contábil, a Petrobras vai reduzir do seu lucro o valor dos contratos que tiveram corrupção. Para isso, tomou como base os depoimentos de delação premiada feitos por ex-funcionários da Petrobras e executivos das empresas fornecedoras à Justiça. A companhia bloqueou a contratação de 23 empresas citadas na Lava-Jato. O balanço do terceiro trimestre deveria ter sido divulgado em meados de novembro, mas foi adiado em duas ocasiões por conta das denúncias de corrupção. O Conselho de Administração da Petrobras vai se reunir no próximo dia 27 para aprovar o balanço do terceiro trimestre do ano passado, que ainda não terá o aval da auditoria PricewaterhouseCoopers.

Além das perdas contábeis de R$ 10 bilhões, a mesma fonte do governo destaca que a companhia cortará investimentos neste ano em cerca de 30%. Por ano, com base em seu Plano de Negócios 2014-2018, a estatal previa investir cerca de US$ 44 bilhões.

— A queda de investimento é de 30%. É uma retração baixa diante das dificuldades que a companhia vem enfrentando, já que não vai conseguir captar recursos no exterior — disse a fonte.

Sobre a queda de 30%, a Petrobras não confirma nem nega. Em nota, disse que está revisando seu planejamento para o ano de 2015, implementando uma série de ações voltadas para a preservação do caixa, de forma a viabilizar seus investimentos sem a necessidade de efetuar novas captações, tomando por premissas taxa de câmbio de R$ 2,60 e preço médio do barril do Brent em 2015 de US$70. “Tais medidas incluem a antecipação de recebíveis, a redução do ritmo dos investimentos em projetos, a revisão de estratégias de preços de produtos e a redução de custos operacionais em atividades ainda não alcançadas pelos programas estruturantes”, destacou. A empresa não comentou a previsão de perdas.

BUSCA DE CREDIBILIDADE

Segundo Maurício Pedrosa, estrategista da Queluz Asset Management, os investidores olharão com bastante atenção os números da empresa. O objetivo é avaliar a metodologia usada para contabilizar as perdas.

— O mercado embutiu no preço das ações da Petrobras uma estimativa sobre as perdas, mas o cálculo não é um consenso porque trata-se de algo intangível. Será importante saber o número oficial — disse Ricardo Zeno, sócio-diretor da AZ Investimentos.

Nesta quinta, as ações preferenciais (PN, sem voto) subiram 5,36% e as ordinárias (ON, com voto) avançaram 6,41%, após a Petrobras afirmar que o balanço trará o custo da corrupção:

— A empresa deve divulgar uma estimativa de perdas até para dar credibilidade aos números. Se viesse maravilhoso, seria difícil acreditar no balanço. Divulgar resultados financeiros é o requisito mínimo para qualquer empresa de capital aberto no mundo, e mesmo um documento como esse, não auditado, resgatará um pouco da credibilidade — disse Alexandre Wolwacz, diretor da escola de investimentos Leandro & Stormer.

0 Depoimentos:

Entre outros bens, Youssef abre mão de 80 apartamentos em acordo com Justiça; veja list




Segundo o acordo, ele ficará preso em regime fechado no mínimo por três anos e no máximo por cinco anos e progressão diretamente para o regime aberto, sem passar pelo semiaberto

Por Lara Rizério

SÃO PAULO - O acordo de delação premiada do doleiro Alberto Youssef no âmbito da Operação Lava Jato prevê a renúncia por ele, em favor da Justiça, de 74 apartamentos de um hotel na cidade de Aparecida do Norte (SP), seis apartamentos de um hotel em Londrina (PR), além de participações em outros imóveis espalhados em oito cidades do Brasil, além de carros de luxo.

O acordo foi homologado em 9 de dezembro pelo ministro Teori Zavascki, do STF (Supremo Tribunal Federal) e foi anexado na última quarta-feira (21). 

Segundo o acordo, ele ficará preso em regime fechado no mínimo por três anos e no máximo por cinco anos e progressão diretamente para o regime aberto, sem passar pelo semiaberto. O tempo será contado a partir da prisão dele, em março de 2014. Ele abriu mão também de R$ 1,8 milhão apreendidos na GFD Investimentos, bem como de US$ 20 mil.

A lista de bens de Youssef mostra a grande dimensão do patrimônio do doleiro, um dos alvos da investigação Lava Jato. Youssef também se comprometeu a informar e renunciar à União todos os valores em contas bancárias e investimentos que tem direito no Brasil e no exterior, mesmo que estejam em nome de outras pessoas físicas ou jurídicas. 

Confira a lista de bens a serem devolvidos, de acordo com informações do G1:

- Bens em nome da GFD que estejam administrados pela Web Hotéis Empreendimentos LTDA.

- Propriedade de 74 unidades autônomas integrantes do Condomínio Hotel Aparecida, bem como do empreendimento Web Hotel Aparecida nele instalado, localizado em Aparecida do Norte (SP)

- 37,23% do imóvel em que se situa o empreendimento Web Hotel Salvador

- Empreendimento Web Hotel Príncipe da Enseada e do respectivo imóvel, localizado em Porto Seguro (BA)

- Seis unidades autônomas componentes do Hotel Bluee Tree Premium, localizado em Londrina (PR)

- 34,88% das ações da empresa Hotel Jahu S.A. e de parcela ideal do imóvel em que o empreendimento se encontra instalado.

- 50% do terreno formado pelos Lotes 08 e 09, da Quadra F, do Loteamento Granjas Reunidas Ipiranga, situado no município de Lauro de Freitas (BA), com área de 4.800 m², avaliado em R$ 5.300.000,00, bem como do empreendimento que está sendo construído sobre ele, chamado “Dual Medical & Business – Empresarial Odonto Médico”

- Veículo Volvo XC60, blindado, ano 2011

- Veículo Mercedes Benz CLS 500, anos 2006

- Veículo VW Tiguan 2.0 TSI. Blindado, ano 2013/2014

- Imóvel localizado em Camaçari, com área aproximada de 3000 m², cujo contrato se encontra apreendido no bojo da Operação Lava Jato.

0 Depoimentos:

Dilma é a pior presidente para a Bolsa de Valores da história brasileira, mostra estudo






Atual presidente terminou primeiro mandato com um desempenho negativo anual de 13,3 negativos para o Ibovespa, o pior desempenho para o índice entre os presidentes

Por Lara Rizério |

SÃO PAULO - O ano de 2014 foi de fortes emoções para a Bolsa brasileira, ainda mais levando em conta o rali eleitoral, que acentuou a volatilidade em meio aos "temores" de que Dilma Rousseff fosse reeleita presidente da República devido ao histórico de intervenções no mercado.

A presidente foi reeleita - por uma margem estreita de votos -, mas as novas indicações de seu segundo mandato, confirmado no final de outubro, ajudaram a acalmar o mercado (caso da confirmação de Joaquim Levy na Fazenda). 

Contudo, estas indicações não evitaram que Dilma também fosse "eleita" como a pior presidente para a Bolsa de Valores para a história brasileira, de acordo com estudo da gestora Mint Capital levando em conta o desempenho do Ibovespa durante o mandato dos presidentes. 

Levando também em conta o cenário conjuntural mais complicado no âmbito internacional e o fim do boom de commodities, o primeiro mandato da presidente não foi nada fácil para a Bolsa brasileira. Mas, vale ressaltar que o estudo compilou o desempenho do Ibovespa desde 1969, quando o governo Emilio Médici assumiu. Isso porque o benchmark da Bolsa foi constituído em 2 de janeiro de 1968.  

A gestora destacou que, em 2013, o mandato da presidente Dilma já se apresentava como o terceiro pior desempenho da história. Agora, com o mandato concluído, o desempenho foi confirmado como o pior - em 2014, o benchmark da bolsa registrou queda de 2,91%. 

Vale ressaltar que, se considerado o retorno real total, Dilma ainda "ganharia" de Ernesto Geisel, que viu um desempenho negativo de 50,7% do Ibovespa no seu mandato entre 1974 e 1979, ante 43,6% negativos de Dilma. Porém, considerando o CAGR (Compound Annual Growth Rate) real, ou Taxa Composta Anual de Crescimento real, a atual presidente teve um desempenho negativo de 13,3%, em empate técnico com Geisel, com desempenho de -13,2%. 

Por outro lado, quem teve o melhor desempenho foi Itamar Franco, com um retorno real de 145,1% do índice entre dezembro de 1992 e dezembro de 1994, com um CAGR de 56,4%. Ele foi seguido por Lula, com desempenho de 292,5% em seus oito anos de mandato entre 2003 e 2010, com um CAGR de 18,6%. Entre outubro de 1969 e 31 de dezembro de 2014, o Ibovespa teve um retorno de 1.017,8%, ou um CAGR real de 5,5%.

0 Depoimentos:

Petrobras precisará levantar US$ 20 bilhões em 2015 - mas deverá contar com o BNDES




As altas taxas de juros que a Petrobras teria que pagar nos mercados de capitais estrangeiros tornariam a única opção viável para a empresa as taxas de empréstimos mais baixos do banco de fomento, destaca a Fitch

Por Bloomberg

(Bloomberg) - A Petrobras (PETR3;PETR4), produtora estatal de petróleo que está no centro de uma investigação de suborno, precisa levantar US$ 20 bilhões este ano - e pode contar com o BNDES (Banco Nacional do Desenvolvimento Econômico e Social).

As altas taxas de juros que a Petrobras teria que pagar nos mercados de capitais estrangeiros tornariam a única opção viável para a empresa as taxas de empréstimos mais baixos do banco de fomento, destaca o analista de finanças corporativas da América Latina, da Fitch Ratings, Dan Kastholm.

Os custos médios de empréstimo em dólar aumentaram 2,08 pontos percentuais no passado, para 6,67%, de acordo com dados compilados pela Bloomberg.

"Tudo se resume ao custo", disse Kastholm. "Eles vão ser capazes de levantar esse dinheiro? Provavelmente. Mas a questão é: eles estão dispostos a pagar esse preço para obter esse financiamento"?

As ações e os títulos da Petrobras caíram desde que promotores brasileiros anunciaram que estão investigando se a companhia exigiu subornos em troca de contratos com empresas de infraestrutura. O processo provocou o pior início de ano para os títulos brasileiros desde 2002. E, vale ressaltar que a indústria de construção do Brasil terá de enfrentar vários defaults após OAS dar calote em meio às investigações sobre corrupção e lavagem de dinheiro.

0 Depoimentos:

Este ano, Fies não deve ter mais restrição






"Eu não vou contribuir para iludir um jovem que está entrando numa arapuca", disse Cid Gomes na quarta-feira

A possibilidade de exigir maior qualidade dos cursos para a concessão de financiamento público para alunos estudarem em universidades privadas, por meio do Fundo de Financiamento Estudantil (Fies), ainda não é decisão de governo nem está na ordem do dia do Ministério da Educação. Segundo apurou o Valor PRO, serviço de informações em tempo real do Valor, embora o ministro Cid Gomes tenha lançado a ideia publicamente na noite de anteontem, ele próprio diz a interlocutores que o assunto não está entre suas prioridades.

Levantamento feito pela reportagem mostra que, se fosse levada adiante a exigência de que a faculdade tenha conceito "excelente" para oferecer o financiamento, pouco mais de 30% dos cursos presenciais de graduação atenderiam aos requisitos defendidos pelo ministro.

A sinalização de um maior rigor do governo fez ontem as ações do setor de educação fecharem entre as maiores quedas do Ibovespa ontem. Maior baixa do pregão, a Estácio fechou em queda de 15,15%, a R$ 16,46. A Kroton recuou 6,89%, para R$ 12,70. Fora do Ibovespa, a Ser Educacional caiu 14,44%, atingindo R$ 15,53. Já a Anima encolheu 6,88%, para R$ 23.

As ações já vêm em declínio desde o início do mês, após o governo publicar portaria com novas regras para o Fies. Entre as principais mudanças está a exigência de que aluno consiga resultado mínimo de 450 pontos no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) para que tenha acesso ao crédito. Além disso, o governo alongou o prazo de repasse às faculdades das verbas correspondentes às mensalidades dos estudantes beneficiados.

Na entrevista coletiva concedida na quarta-feira à noite e que repercutiu ontem no mercado, Cid Gomes afirmou: "Acho é pouco essa exigência de patamar de 450 [pontos no Enem para acessar o Fies] e vou defender mais rigor. Em vez de rigor no aluno, posso exigir rigor no curso. Só vou aceitar financiar matrícula nos cursos bons, que tenham conceito excelente."

O ministro comentou também a afirmação de representantes do setor privado, de que haverá queda na demanda pelo financiamento, com a nova exigência. "Para mim, não importa a quantidade. O que importa é a qualidade", afirmou. "Não vou botar gente em qualquer faculdade. No financiamento, o jovem vai ter que pagar depois. Eu não vou contribuir para iludir um jovem que está entrando numa arapuca."

http://www.valor.com.br/sites/default/files/crop/imagecache/media_library_small_horizontal/0/5/415/271/sites/default/files/gn/15/01/arte23emp-102-educa-b6.jpg

Ao Valor, Gomes considerou "especulação", ainda, o argumento de que empresas do setor estejam sofrendo prejuízos, já que o orçamento do Fies nunca teve "previsibilidade". Ele negou que o governo tenha a intenção de reduzir os recursos investidos nessa área.

A equipe de análise da corretora Concórdia, comentando a entrevista, avaliou que, "apesar das declarações ainda não implicarem nenhuma medida prática mais restritiva junto às empresas do setor, elas, inevitavelmente, acendem o alerta de que o órgão público responsável ainda enxerga pontos de melhoria, que não vão exatamente ao encontro dos interesses dessas empresas".

Segundo fontes próximas ao MEC, apesar das afirmações do ministro, não há qualquer nova medida sendo analisada por enquanto e o Fies não deve sofrer mais restrições este ano. O que Cid Gomes fez foi manifestar sua posição - ainda pessoal -, favorável à exigência, pelo governo, de critérios de qualidade para que uma faculdade possa ser paga com recursos do Fies.

No momento, as prioridades do ministro são outras, como conversar com representantes do setor educacional, propor ações para melhorar a qualidade do ensino e analisar a possibilidade de adotar um sistema de avaliação de professores. Ele delegou a tarefa de tratar de qualquer tema relativo ao Fies à Secretaria-Executiva do MEC, que vem recebendo representantes do setor desde o início do mês.

Atualmente, de um total de 16,7 mil cursos avaliados, apenas 5,2 mil foram classificados pelo governo como satisfatórios, ou seja, receberam notas 4 ou 5 em uma escala que varia de 1 (menor nível) a 5 (maior patamar). O levantamento feito pelo Valor considera dados oficiais do MEC com base no chamado Conceito Preliminar de Curso (CPC), calculado de acordo com a avaliação de desempenho de estudantes, professores, infraestrutura, recursos didático-pedagógicos e demais insumos.

Os dados do MEC apontam que 4,8 mil cursos de graduação presenciais em funcionamento no país foram classificados com a nota 4 no CPC. No entanto, apenas 409 cursos receberam menção 5.

O conceito 3, considerado pelo Ministério da Educação como regular, foi dado a 8,7 mil cursos. Já as notas 1 e 2, que indicam resultados insatisfatórios, atingiram 83 e 2,7 mil cursos, respectivamente. A base de informações do governo mostrou ainda que 2,5 mil cursos de graduação presenciais não foram avaliados. Segundo a pasta, isso acontece quando falta alguma informação para dar um conceito ao curso.

0 Depoimentos:

TOMBO DE EIKE DEU PREJUÍZO DE R$ 7,9 BILHÕES A BANCOS




Instituições mais prejudicadas foram o Itaú Unibanco e o BTG, de André Esteves, que enterraram, respectivamente,

R$ 2,6 bilhões e R$ 919 bilhões em projetos fracassados; volume da dívida com os bancos brasileiros representa 27% do prejuízo de R$ 29,2 bilhões provocado pelo ex-bilionário na praça; os bancos esperam recuperar parte do dinheiro viabilizando alguns projetos e vêm provisionando perdas

O rombo financeirode R$ 29,2 bilhões provocado pela derrocada espetacular de Eike Batisa (sem contar a desvalorização das ações de suas empresas) gerou um prejuízo de R$ 7,9 bilhões aos bancos, que financiaram vários dos projetos do investidor. As instituições mais afetadas são o Itaú Unibanco e o BTG, de André Esteves, que enterraram, respectivamente, R$ 2,6 bilhões e R$ 919 bilhões em projetos fracassados.

O Itaú Unibanco, maior prejudicado, emprestou R$ 1,7 bilhão para a EBX e outros R$ 900 milhões estão na recuperação judicial da termelétrica Eneva, antiga MPX. O dinheiro de Esteves
também foi desperdiçado na Eneva. O levantamento feito pelo jornal Folha de S. Paulo em balanços das empresas revela outros brancos prejudicados, como Caixa, Santander, Bradesco e Votorantim.

O cálculo considera pedidos de recuperação judicial de quatro empresas (OGX, OSX, Eneva e MMX) e as dívidas da holding EBX.

Os bancos esperam recuperar parte do dinheiro viabilizando alguns projetos. Também vêm provisionando perdas.

Os bancos brasileiros estavam relativamente tranquilos com a quebradeira de Eike. Eles escaparam do rombo da petroleira OGX, que se financiou no mercado internacional de títulos. Mas aí veio uma surpresa: a recuperação judicial da Eneva. As usinas não entregaram a energia contratada e os prejuízos se avolumaram. A empresa pediu recuperação judicial, com uma dívida
de R$ 2,3 bilhões.

0 Depoimentos:

Chinês acorda do coma após sentir 'cheiro' de dinheiro - Money Zombie





Enfermeiros passarem cédula 100 iuanes debaixo do nariz de Xiao Li.Ele ficou
em coma após passar quase 1 semana em cibercafé sem dormir.

Do G1, em São Paulo

Um paciente que estava em coma havia mais de um ano acordou após os enfermeiros passarem uma cédula de dinheiro debaixo de seu nariz.

Chinês acordou do coma após enfermeiros passarem dinheiro debaixo de seu nariz (Foto: Reprodução/YouTube/Mocaz News)

Segundo a imprensa chinesa, o homem acordou do coma quando os enfermeiros colocaram uma nota de100 iuanes (R$ 43) debaixo de seu nariz.

"Foi extraordinário", disse o médico Liu Tang. "Eu nunca tinha visto nada parecido em 20 anos de
profissão", disse ele.

Xiao Li, que mora em Shenzhen, estava em coma desde agosto 2013 após passar quase uma semana emum cibercafé sem dormir.

Durante meses, os médicos tentaram de várias formas tentar acordá-lo, mas, até então, nada tinha
adiantado.

Mas bastou ele sentir o "cheiro" de dinheiro para despertar, brincou a imprensa chinesa.


0 Depoimentos:

9 atitudes que não deixam sua vida evoluir





Muitos fatores podem determinar o sucesso ou não dos nossos projetos. Confira alguns deles
Seguir Christian Barbosa, 8 de outubro de 2012


Estamos na reta final de 2012 e a sensação é de que o tempo está voando. Neste momento muitas pessoas se perguntam se o ano está valendo a pena ou se está passando sem o rendimento e os resultados esperados. Muitos fatores podem determinar o sucesso ou não dos nossos projetos. Porém, existem algumas atitudes que, verdadeiramente, podem nos impedir de evoluir sem que sejam percebidas. Entenda alguma delas e como superá-las para que você consiga sair do lugar, seja na vida pessoal ou profissional.

Não ter objetivos definidos
Se você não sabe o que quer, o tempo vai passar e nada vai acontecer, mas com certeza vai estar sempre com a sensação de que fez um monte de coisas. Escolha um ou dois objetivos extremamente realistas e pé no chão, para os próximos meses, escreva-os e detalhe um plano de ação. Ter algo mesmo que não seja "o plano perfeito" é melhor do que não ter nada.

Achar que o momento certo ainda vai aparecer
O momento certo é um mito, ele não existe. As condições perfeitas nunca vão acontecer na hora que você precisa. Faça o momento certo ser o momento em que você decidir começar a sair do lugar, quem espera nunca alcança, ou nesse caso fica no mesmo lugar. É a lei da inércia.


Não planejar seu tempo
Se você deixa a vida fluir como um rio, vai acabar como um peixe, na mesa de alguém ou nadando aleatoriamente. É preciso dar um norte para a semana, para o mês, para o dia. Se você não planejada nada, as coisas simplesmente se tornam urgentes e você fica sem tempo de fazer a vida evoluir.

Não ter uma agenda eficiente
Se você anota as coisas que precisa fazer na cabeça, no post it, no caderno em qualquer lugar que tiver mais próximo, você é um forte candidato a se perder entre suas tarefas, não conseguir planejar de forma adequada e quando perceber não tem tempo para nada. Agenda eficiente é aquele que centraliza tudo que você precisa fazer, te permite planejar e está sempre presente com você.

Usar o fim de semana para procrastinar a vida
Nada contra pegar um fim de semana de preguiça e não fazer nada, mas se você faz isso com a maior parte dos seus fins de semana tem algo errado. É no fim de semana que temos a oportunidade de recuperar a energia, de colocar a leitura em dia, de fazer algum curso, de ter tempo com os amigos, de estudar algo novo, de elaborar melhor suas ideias.

Achar que alguém é responsável pela sua carreira
Não é a empresa, não é seu chefe, não são seus pais, seus amigos ou seus professores que fazem sua carreira. Você é que tem que constantemente usar seu tempo para investir em cursos, networking, eventos, estágios, etc.

Não correr riscos
Se você faz o que costuma fazer sempre, vai ter o resultado de sempre. Os medíocres são aqueles que ficam na media. Os visionários, nada mais são do que pessoas que correram o risco e deram certo. Visionários erram, mas é errando que torna os riscos mais calculáveis. Alguma coisa você precisa arriscar, pense bem, analise com cautela, veja os prós e os contras e vá em frente.

Reclamar
As coisas não dão sempre certo, a vida vai ter um monte de burradas, de erros, de traições, de mágoas, de perdas, etc. Viver é assim mesmo, se não curte isso, "pede pra sair" rsrsrs. Aprenda com os erros, faça uma análise e comece de novo. Perder seu tempo reclamando só vai piorar a situação. Enquanto você reclama, com certeza alguém já está começando a fazer a história de sucesso do amanhã.

Excesso de redes sociais
Eu gosto do Facebook, Twitter, Linkedin. Na medida certa eles fazem a diferença na vida pessoal e profissional. Agora se você está viciado nas redes e deixa de fazer coisas importantes, com certeza vai ser bem difícil de evoluir.

0 Depoimentos:

Empreendedor conseguiu R$ 4,5 milhões com uma apresentação de 5 slides SOBRE NADA




Itay Adam, além de saber ganhar dinheiro é um empresário israelense cheio de ousadia e grande fã de Seinfeld. Com apenas essas características, aliadas aos seus 22 anos de experiência em marketing online, ele conseguiu arrecadar MUITO dinheiro de investidores, para uma empresa sobre… nada.

Depois de financiar muitos empreendimentos, alguns bons e outros não, Adam chegou à conclusão de que, se alguém lhe desse dinheiro suficiente, poderia começar uma empresa de bastante sucesso.

E conseguiu: Adam recebeu um investimento de US$ 2 milhões (cerca de R$ 4,54 milhões) para começar sua empresa, de uma companhia de private equity com sede em Londres, Brasil e Colômbia (private equity é um tipo de atividade financeira realizada por instituições que investem essencialmente em empresas que ainda não são listadas em bolsa de valores, com o objetivo de alavancar seu desenvolvimento).

Como ele conseguiu ganhar dinheiro?
Toda a sua argumentação consistiu em uma simples apresentação de cinco slides e 40 minutos, 18 piadas e nenhum produto. Isso mesmo, nenhum produto.
O primeiro slide era simplesmente uma citação tirada do seriado Seinfeld: “Este é um programa sobre nada”.

Adam explica que obteve sucesso por causa de uma combinação de filosofia, experiência, idade e paixão. Na verdade, ele até contratou um roteirista profissional para escrever sua apresentação com tons de comédia, que ele praticou durante uma semana. Em seguida, ele deu aos investidores o melhor show possível.

Poucos dias depois, eles assinaram um financiamento de R$ 4,5 milhões apenas para bancar uma crença inteligente e bastante simples, mas muito real.

O que Adam pretende fazer com esse dinheiro
“Ninguém sabe o que a próxima ‘grande ideia’ vai ser, é tudo apenas especulação. Meu objetivo é construir uma equipe de 5 a 6 pessoas, todos veteranos com experiência comprovada, todos com idade superior a 35 anos, para criar essa próxima ‘grande coisa’, seja ela qual for”, explica Adam.
Os cinco slides usados pelo israelense na apresentação dão uma noção do que ele pretende fazer:

“Este é um programa sobre nada” – George Costanza
Qual será próxima “grande ideia”?
Ninguém sabe. Estamos todos apenas especulando.
Nenhuma ideia. Nenhum produto. Nenhum conceito.
Apenas monte o time certo. O resto virá sozinho.

Minha equipe dos sonhos
Designers de Interação e Experiência do Usuário (Lead UX e Lead UI), Desenvolvedor iOS, Desenvolvedor Android, Desenvolvedores/programadores para web “full stack” (que conhecem todas as camadas de desenvolvimento, integrando uma rede complexa de tecnologias e frameworks para criar aplicações hiperinterativas e escaláveis), Veterano de Marketing e Veterano em Desenvolvimento de Negócios.

Todos experts. Todos com mais de 35 anos.
US$ 5 milhões.
Taxa de administração para 3 anos.

Sua ideia é criar a empresa “BetaPopcorn – Entertaining Internet”, uma empresa de entretenimento. De acordo com ele, se você pode entreter, você fornece um serviço que está em demanda.
Hoje em dia, os novos produtos visam simplificar a vida das pessoas. “Se você conseguir construir algo que faz com que a vida das pessoas seja mais fácil (Facebook, Twitter, Google, etc), você conseguiu entreter”, argumenta Adam.

A empresa vai se chamar “BetaPopcorn” porque quando você pensa em entretenimento, também pensa em pipoca (“popcorn”, em inglês).

Itay Adam não pode ter uma ideia, produto ou conceito ainda, mas tem uma equipe, motivação e uma visão única, além de R$ 4,5 milhões, o que é muito mais do que a maioria das novas empresas podem dizer que têm. É esperar para ver o que vai sair disso. [ Forbes , SlideShare ]


0 Depoimentos: