Brasil sobe no ranking e tem o quarto Big Mac mais caro do mundo





Suíça supera a Noruega e já tem o sanduíche com os preços mais ‘salgados’, indica ‘Economist’

POR O GLOBO


LONDRES - O ranking não é exatamente positivo, mas o Brasil subiu uma posição e já possui o quarto Big Mac mais caro do mundo, custando US$ 5,21 (cerca de R$ 13,50). No ano passado, os brasileiros ocuparam o quinto lugar, pagando US$ 5,86 (ou R$ 13). Desde 1986, o lanche da rede McDonald’s é usado como índice pela revista britânica “The Economist” para mostrar o poder de compra das moedas dos países pesquisados.

No topo da lista dos sanduíches mais “salgados”, uma novidade: a Suíça rebaixou a Noruega, até então detentora do título do mais caro Big Mac do planeta. Se algum dos integrantes do Fórum Mundial em Davos, por exemplo, quiser saborear a calórica iguaria, terá que desembolsar 6,50 francos, o equivalente a US$ 7,54 (cerca de R$ 19, 40). O resultado aponta para uma supervalorização de 57,5% da moeda suíça frente ao dólar americano.

Nos Estados Unidos, aliás, o sanduíche custa US$ 4,79 (cerca de R$ 12.30) — ocupando o sexto lugar da lista. No extremo oposto do ranking, aparece a Ucrânia. Na ex-república soviética, cuja economia está gravemente abalada pelo abalo nas relações com a Rússia e um movimento separatista pró-Moscou, os fãs de fast food encontram o sanduíche mais barato: 19 grívnias ou US$ 1,20 (cerca de R$ 3,10).

Segundo a “The Economist”, uma das mais respeitadas publicações de economia e negócios do mundo, o objetivo do índice Big Mac não é ser preciso, mas tornar mais fácil entender as taxas de câmbio. Por estar presente em mais de 120 países, o Big Mac, ícone da cultura do fast food, é considerado um bom termômetro de quanto o consumidor de cada local pode compra. Assim, a taxa de câmbio é calculada a partir do preço do sanduíche em cada país.

Para mostrar a variação das moedas frente ao dólar, leva-se em conta a paridade do poder de compra (ou seja, o que se pode comprar com o dinheiro de um país). A diferença é que o índice Big Mac só calcula o valor necessário para comprar o lanche, enquanto cálculos tradicionais consideram vários produtos de consumo, como, por exemplo, os da cesta básica.

Confira o ranking do Índice Big Mac:

1º lugar: Suíça

2º lugar: Noruega

3º lugar: Dinamarca

4º lugar: Brasil

5º lugar: Estados Unidos

6º lugar: Canadá

7º lugar: Reino Unido

8º lugar: Austrália

9º lugar: Países da zona do euro

10º lugar: Filipinas

Postar um comentário

0 Depoimentos: